Warning: count(): Parameter must be an array or an object that implements Countable in /home/sindiloj/public_html/site/wp-content/plugins/girohost-client/inc/basic_functions.php on line 251

Dia das Mães: comércio abrirá no final de semana (Entrevista Cid Alves)

Com a aproximação do Dia das Mães, no próximo domingo (9), o comércio varejista tem esperança que neste ano seja melhor em relação a 2020, quando todas as lojas encontravam-se fechadas na data devido ao isolamento social rígido. Para a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a expectativa é que o volume movimentado pela data alcance R$ 12,12 bilhões, o que significa um avanço expressivo em relação ao ano passado, quando as vendas tiveram o maior recuo da série histórica (-33,1%), durante o ápice das medidas restritivas.

Em Fortaleza, com a flexibilização das atividades econômicas no novo decreto estadual, que passa a valer a partir desta segunda-feira (3), permitindo a abertura de comércios e restaurantes aos sábados e domingos, os lojistas ganham ânimo para o período. Até então, o final de semana seguia em lockdown.

Portanto, a partir de hoje, o comércio de rua segue funcionando de 10 horas às 16 horas, de segunda a sexta-feira, e os shoppings de 12 horas às 18 horas, também de segunda a sexta-feira. Aos sábados e domingos, o comércio de rua passa a abrir de 10 horas às 15 horas e os shoppings abrirão de 12 horas às 17 horas.

Essa flexibilização era aguardada pelo Sindicato do Comércio Varejista e Lojista de Fortaleza (Sindilojas), como forma de aumentar as vendas para a data, que é uma das mais importantes para o varejo. “Se continuar da forma que está, não. Com o horário reduzido e as pessoas sem dinheiro, não tem condição de ter boas vendas”, havia comentado ao jornal O Estado, o presidente do Sindilojas Fortaleza, Cid Alves, antes do anúncio do novo decreto. Para Cid Alves, caso seja apontado um rendimento nas vendas igual o superior ao do ano passado, já será visto com bons olhos.

E-commerce
Após a privação das atividades presenciais durante o Dia das Mães de 2020, por conta da pandemia, muitos lojistas buscaram outras formas de manter o capital financeiro e aumentar o número de vendas nessa comemoração. O meio mais comum usado pelas empresas para expandir seu comércio foi através das vendas digitais, essa ampliação conseguiu oferecer uma sobrevida aos estabelecimentos que funcionavam somente de forma física.

Porém, não foram todos os negócios que conseguiram apresentar sinais de crescimento com essas mudanças, alguns empresários que comercializam roupas e sapatos apresentaram dificuldades nesse ramo, já que não tem como os clientes experimentarem os produtos de forma virtual, e muitos consumidores ainda possuem certa preferência em comprar de maneira presencial.
O presidente do Sindilojas Fortaleza, Cid Alves, ressalta que, embora importante as vendas nos canais digitais, a venda física ainda é um hábito do brasileiro, principalmente do nordestino, e que muitos gostam de saber da qualidade da mercadoria no ato da compra.

Preço
Além do baixo poder aquisitivo dos consumidores, que enfrentam o desemprego e um auxílio emergencial mais barato, outra dificuldade para este Dia das Mães, sem dúvidas, é o custo. Os produtos estão mais caros. O presidente do Sindilojas Fortaleza explica que as elevações nos preços são devido ao aumento do dólar. “A gente espera que, com a reposição de estoque para semana que vem, já haja uma redução de custos e que a gente possa vender mais barato”, analisa Cid Alves.

Projeção
Conforme projeção da CNC, entre os produtos mais procurados para a data, o ramo de vestuário, calçados e acessórios responde pela maior fatia das vendas. Para este ano, a previsão de faturamento é de R$ 4,09 bilhões.

A CNC analisa, ainda, que embora haja avanço, o volume de vendas no Dia das Mães deverá ficar abaixo do registrado no mesmo período de 2019, ano anterior à pandemia. O economista da CNC responsável pelo estudo, Fabio Bentes, explica que as condições econômicas para o consumo no curto prazo dificultam o avanço mais substancial das vendas no comércio. “O mercado de trabalho está travado, o que se soma às condições de crédito menos favoráveis e à inflação acima do desejável. São empecilhos adicionais à expansão do volume de vendas neste momento, em comparação a 2019”, afirma.

Fonte: https://oestadoce.com.br/economia/dia-das-maes-comercio-abrira-no-final-de-semana/

Acesso rápido